sexta-feira, 31 de julho de 2009

Entrega

E se não houve inspiração
aconteceu um reverso,
me trazendo aquele verso,
predefinindo uma canção.

Já na atemporalidade
vi nascer, inesperado,
tal o corvo eriçado,
a possível unidade.

Foi convite para a dança
que no reencontro veio...
Peito encostado ao seio,
saiu, do cupido, a lança.

E se o plano é estar aberto,
me rendi à tal entrega.
Se a busca era cega,
sigo agora o certo incerto.

2 comentários:

Catarina disse...

Eh Juninho, demorei pra entender isso mas agora sei que só podemos mesmo seguir o certo incerto ...

Bjo!

izabel disse...

uia!!! Após um pulsar "viniciante" veio esse tônico literário. Delícia de texto. Já tá mais pra babyliss.risos.Que bom...

beijos
i.